A Black Friday de cada um de nós

Como a data norte-americana foi adotada pelo público brasileiro a partir da globalização

Por Felipe Vinha - Em 27.11.2015


Descontos da Black Friday são atrativos e interessantes. Economizar é sempre bom e todo mundo gosta. A adoção que o público brasileiro fez para a data norte-americana é apenas reflexo do mundo globalizado, que não para de crescer. Afinal de contas, você nem devia saber que o conceito de uma data deste tipo existia nos anos 90.

Friday ou Fraude?

É verdade que, como toda grande data promocional, a Black Friday acaba sendo mal utilizada por aí. No Brasil ela acabou virando ferramenta de marketing, enquanto nos EUA é também isso, mas é ainda uma data incrivelmente cultural e diretamente ligada com o Dia de Ação de Graças, algo que não temos de forma concreta por aqui.

Enquanto por lá a Black Friday serve para limpar os estoques anuais das empresas, que vendem tudo a “preço de banana” por um dia, e se preparar para as devidas compras natalinas, por aqui ela virou ferramenta de atração a uma massa desesperada pelo consumo. E isso me inclui, inclui você, todos nós. Segundo pesquisa realizada pelo E-bit/Buscapé, 80% de consumidores pretendiam comprar nesta data.

As categorias que mais se destacaram como as de maior intenção de compra para a Black Friday eram Eletrônicos (37%), Informática (27%), Eletrodomésticos (27%), Telefonia/Celular (25%) e Livros (17%) – já as preferências de lojas variam bastante.

Consumir não é errado, desde que feito de forma consciente. A melhor forma de educar um mercado é demonstrar sua demanda correta, e para isso o consumidor tem o poder. Prova disso é a movimentação que muitos órgãos de proteção já criaram formas de monitorar as “fraudes” desta sexta-feira negra.

O marketing correto

É claro que também não é errado usar a Black Friday como ferramenta de marketing e, ainda assim, oferecer um serviço legítimo ao público-alvo. Um bom exemplo é Hub do Empreendedor, que já abordamos por aqui nesta semana.

O Hub reune diversas ferramentas úteis para empreendedores brasileiros a preços mais em conta. Até o final desta Black Friday de 2015 é possível obter benefícios com descontos somados de até R$ 50 mil. O valor deve diminuir depois da data, mas o Hub fica como legado e com outros descontos em prazo indefinido.

Outro exemplo fica com o Uber, serviço de passageiros que resolveu reduzir o valor de suas corridas em 15% a partir desta Black Friday. O corte de preço é permanente, mas começar nesta exata data foi uma boa jogada por parte da empresa.

E aí, você comprou ou pretende comprar algo nesta Black Friday 2015?