6 dicas para escolher seu mentor

Saiba como escolher bem seu mentor e não cair em furadas

Por Monique Fernandes - Em 18.01.2016


Todo empreendedor precisa de conselhos dos mais experientes. Um mentor é uma pessoa bem importante na vida de negócios. Ele podem levantar ou derrubar qualquer um e suas ideias. Normalmente são empreendedores que já trilharam o mesmo caminho que você anteriormente e podem te ajudar a evitar determinados erros. Porém, nem todo empreendedor experiente tem vocação para ser mentor.

No meu caminho empreendedor, tenho quatro mentores que sempre consulto quando tenho uma grande decisão a tomar dentro da empresa. Costumo dizer que eles formam um conselho consultivo da Tagarela. Escolhi pessoas alinhadas aos meus valores e que são empreendedores com muitos anos de experiência no melhor estilo ‘self-made man.’

Na minha curta experiência de cinco anos empreendendo já vivi muitas situações que serviram de exemplo para outros empreendedores. Por isso já fui chamada por diversos eventos para compartilhar minhas experiências e dar conselhos. Com o tempo, fui aprendendo como um mentor deve agir. Vou listar as características de um bom mentor e o que você deve considerar para escolher o seu:

– Mentor pergunta muito, ouve bastante e fala pouco: 
Um bom mentor funciona como uma espécie de coach: te faz as perguntas certas para entender o seu cenário e te coloca para pensar. Muitas vezes vai terminar a conversa deixando uma dúvida no ar. Ele nunca vai chegar, com a solução pronta, dizendo o que você precisa fazer. Sabe aquela máxima: “não dê o peixe, mas ensine a pescar?” É isso o que o mentor vai fazer por você: te guiar para que você enxergue o que precisa ser feito e nunca vai te dar respostas prontas;

– Mentor não dá ordens:
Desconfie de mentores que dão ordens, falam contigo no imperativo, e te entregam a solução pronta. O mentor não é seu chefe! É alguém que está dispondo do seu tempo para te auxiliar a não passar pelos mesmos problemas que ele. Mas ele pode, sim, dar broncas e chamar sua atenção se ele perceber que você não está numa rota boa;

– Mentor fica disponível, mas não faz cobranças:
Como dito acima, o mentor não dá ordens, logo, não faz cobranças diárias de status de tarefas. Todos os meus mentores sempre estão disponíveis para tirar dúvidas por telefone, WhatsApp, ou um papo mais longo. Porém, nunca ficam diariamente me mandando mensagens para saber status de tarefas que me passaram. Eles me deixam livres para procurá-lo novamente quando eu fizer o que precisa ser feito. Somente condicionam um novo bate-papo à conclusão de uma tarefa. Logo, se eu preciso de um novo encontro, preciso executar rapidamente a tarefa solicitada;

– Mentor te motiva e não te deixa para baixo:
O mentor te inspira e motiva, celebra suas conquistas e nunca te deixa para baixo. Se você sai do encontro com seu mentor deprimido e com vontade de deixar de empreender, é melhor você trocar de conselheiro.

– Tenha um mentor para cada área:
A proposta é que você tenha um mentor para cada área. Por exemplo, um para gestão de pessoas, outro para finanças etc. A ideia não é ter diversos mentores para validar o conselho de um com os outros. A pessoa que faz isso é insegura, pois está com medo de tomar uma decisão e quer outra pessoa decidindo por ela para poder transferir a responsabilidade.

– Siga seu feeling:
Vi uma palestra uma vez que corroborou o meu pensamento, você pode planejar, analisar métricas, mas, para a decisão final, o que você deve contar é o seu feeling. Sim! Pode parecer loucura, mas é a realidade de todos os empreendedores; no fim a decisão é sua e sempre baseada no que acreditamos e esperamos que aconteça. Baseada nas nossas experiências e idiossincrasias. Você não pode e nem deve responsabilizar ninguém por isso! Mesmo que você siga o conselho do seu mentor, a decisão de implementá-lo foi absolutamente sua. Afinal, na calada da noite, é você com os seus pensamentos e seus fantasmas. A empresa é sua e não do seu mentor, só você sabe o que te aflige. Tome a decisão que você julgar melhor para você e o seu negócio!