Todo empreendedor deveria assistir Steve Jobs

Acredite, esse filme vai ajudar a sua relação com todas as pessoas

Por @cristianoweb - Em 26.02.2016


Diferente de “Piratas do Vale do Silício” (1999) e de “Jobs” (2013) que mostram um Steve Jobs que enfrentou a então dominadora do mercado de informática, IBM, e criou a Apple, que se tornaria a empresa mais valiosa do mundo, “Steve Jobs” (2015) foca na sua relação conturbada com a Chrisann Brennan, sua filha Lisa e todos que convivem com ele. São essas pessoas que influenciam diretamente no que Jobs faz no seu dia a dia, e como ele lida com o mundo.

Ninguém é uma ilha. O empreendedor que não entende isso, fracassa. Jobs fracassou muitas vezes, e isso fica claro no filme. A genialidade dele foi saber se reinventar mesmo diante de seus erros e da sua incapacidade de se relacionar com os seus pares. cada produto novo que ele criava, ele precisava investir energia em extrair das pessoas o seu maior potencial, ainda que ela não soubesse disso. Sua determinação e foco em criar algo que não existia, era uma verdadeira maratona para os seus funcionários e acionistas. E isso aconteceu inúmeras vezes!

A espinha dorsal do filme é a Lisa. Tudo que ele fez, tem influencia dela, ele reconhecendo isso ou não. Esse cenário é igual para todos nós. Empreender é um plano da família. Quando decidimos focar nossos esforços em criar algo novo, a família, por menos que se envolva, ela caminha junto e também investe nesse ideal. Por isso, a lição que fica do filme é:

Seja hábil com os seus pares. Familiares, funcionários, colaboradores, parceiros e fornecedores.

Afinal, geniais como Steve Jobs, só ele. Mortais como nós precisam ralar muito. Como diz o empresário Flávio Augusto da Silva “Meu maior objetivo não é plantar negócios, mas plantar relacionamentos. Os negócios são ao mesmo tempo meio e consequência.” Fica a dica!

(Ah, o filme é sensacional, recomendo!)