Dicas para manter o foco no trabalho: fuja da improdutividade!

Por que a improdutividade se alastra como um vírus no ambiente de trabalho?

Por Keli Ricarte - Em 06.11.2015


A jornada de trabalho, de acordo com a legislação brasileira, é de oito horas diárias. Se dentro de uma empresa todos os funcionários possuem a mesma carga horária, por que a improdutividade de uns é maior que a de outros?

A resposta não está no modo em que as tarefas são executadas, mas em como o dia de trabalho é desenvolvido. Alguns fatores fazem toda a diferença:

1. Organização

A organização deve ser desde a mesa de trabalho à agenda de tarefas. Arrumar tudo o que deve ser feito no dia em uma agenda, seja ela escrita a mão ou através de um software, permite que possamos definir o tempo que será levado em cada uma e a ordem em que serão executadas, além de dificultar o esquecimento de algo importante.

2. Foco

As empresas que permitem o uso do celular e acesso a redes sociais sofrem com a falta de foco dos funcionários. Não que seja ruim estar sempre conectado, mas muitas vezes uma notificação nas redes sociais tira a atenção de uma tarefa importante e retoma-la pode ser complicado. Por isso, desligar a internet do celular e só liga-la por dois minutos a cada três horas pode ser uma boa saída para ajudar na concentração.

3. Descanse

O cansaço mental e físico pode atrapalhar a produtividade, devido a isso recomenda-se que se faça uma pausa de cinco minutos a cada três horas de trabalho. Use a pausa para jogar uma água no rosto, exercitar as pernas e melhorar a circulação, esticar as costas, bocejar, tomar um café, usar a bolinha de massagem, fechar os olhos, fazer alongamento, olhar as mensagens do WhatsApp quando ninguém estiver olhando, e até mesmo puxar o saco do chefe. Mas lembre-se, é uma pausa e deve-se voltar ao trabalho.

Apesar da longa jornada de trabalho semanal (40 horas em média), o trabalhador brasileiro é visto como improdutivo e isso se confunde com preguiça. Os franceses possuem a fama de serem extremamente organizados e focados, conseguindo desenvolver suas atividades em 35 horas semanais em média.

Por que será que os trabalhadores franceses conseguem ser produtivos em 5 horas diárias (em média) e os brasileiros precisam de oito? É porque lá não existe o “jeitinho brasileiro” de fazer as coisas. Foco é o que nos falta.