O que é ser um chefe ou um líder segundo Game of Thrones

A série da HBO nos dá um paralelo sobre esses dois papéis

Por Keli Ricarte - Em 08.09.2015


Um chefe não necessariamente é um líder, e um líder nem sempre é um chefe. Apesar de parecidos, não são sinônimos. Para exemplificar melhor o paralelo podemos fazer uma brincadeira e lembrar personagens de Game of Thrones, aquela série de TV bem popular e baseada nos livros de George R.R. Martin que você pode até não conhecer, mas já ouviu falar. Entre reis e rainhas, o programa possui ótimos exemplos de chefes e “chefiotas”.

Chefes

Os chefes são aqueles que possuem sobre seus subordinados alguma forma de poder, mas também de responsabilidades. Em Game of Thrones, alguns personagens optaram por exercer a chefia sem preocupação alguma com o resultado de suas ações. Acompanhe:

Joffrey Lannister: o filho de Cersei com seu irmão Jaime (nem pergunte) desconhece a palavra limites e quem sofre as consequências são seus empregados, uma vez que, tendo se tornado rei, fez questão de garantir que todos os seus desejos e caprichos fossem atendidos, mesmo que para isso tivesse que passar por cima de algumas muitas pessoas. Em resumo, é um chefe dos mais mimados e com sérios problemas de criação – ou treinamento.

Stannis Baratheon: na tentativa de alcançar seus objetivos, foi capaz de sacrificar toda a equipe, incluindo a própria família. Cego pela ganância de se tornar rei confiou nas pessoas erradas e optou por ouvir os conselhos apenas de quem dissesse o que ele queria ouvir, punindo quem falasse diferente. É o típico chefe que apenas ouve o que quer e não dá ouvidos para conselhos que realmente importam. Ter funcionários é também confiar neles e no que dizem.

Líderes

Não existirão líderes, se não existirem seguidores”, conforme dito por Malcolm Stevenson Forbes, ex-editor da renomada revista Forbes. Tais palavras podem descrever o conceito de liderança. Líderes possuem a capacidade de persuadir seus liderados de forma positiva para os dois lados. Podem ser do mesmo nível hierárquico, empresas diferentes ou até mesmo não conter relação alguma, mas obtêm a admiração e podem influenciar de forma positiva ou negativa as atitudes e pensamentos dos que escolhem segui-los. Saiba quem são:

Danaerys Targaryen: se aprofundou na cultura de um povo completamente diferente do seu para conquistá-lo. Por onde passou conquistou seguidores, admiradores e aliados e os persuadiu para que fizessem deles o seu objetivo. A líder carismática, que conquista pelos seus atos e não através de atos forçados e dignos de tirania.

John Snow: a frase “você não sabe de nada, Jon Snow” não se aplica quando se trata de liderança. Antes mesmo de se tornar comandante na Patrulha da Noite, uma espécie de “clube do bolinha medieval” que protege as terras do mundo de Game of Thrones, John já possuía seguidores e admiradores que lutaram ao seu lado e lhe deram suas vidas. Ele também conquistou todos ao seu redor pelos seus atos, mas soube sair de enrascadas que lhe deram o posto de liderança sem questionamentos – deixando o tempo falar por ele.

Se você se encaixou em algum exemplo aqui, e não gostou nada dele, não se preocupe, pois sempre há tempo para repensar os atos e mudar. Seja chefe, mas também seja líder. Talvez, as pessoas lutarão se o objetivo for seu, mas darão suas vidas se o objetivo for também delas.