O que esperar da economia com o governo Temer

Confirmado o processo de impeachment. O que pode mudar com Temer no poder?

Por Keli Ricarte - Em 16.05.2016


Nos últimos meses o país está a passos lentos – quase parado – quando o assunto é economia. Confirmado o afastamento da presidente Dilma Rousseff por 180 dias, a constante pergunta é: ela sai, mas o que pode mudar? De que maneira a população pode se beneficiar ou se prejudicar com as medidas de Michel Temer?

De cara, o presidente em exercício cortou alguns dos 32 ministérios existentes e promete a redução do número de cargos comissionados, que chegam a 107 mil pessoas atualmente. Além disso, um novo líder político pode ser fundamental para reconquistar a confiança do mercado e seus participantes, que ao ser prejudicada, causou o afastamento de investidores, elevou a inflação e, como consequência, reduziu o número de moeda estrangeira circulando no país e aumentou o índice de desemprego.

Com o início da crise, há quem diga que ficou mais difícil investir no Brasil, mas talvez o termo certo seja perigoso. O risco de um investidor perder seu recurso aplicado no país é grande, então, é preferível que o dinheiro seja destinado a países com menor probabilidade de perda. Isso é o que conhecemos como risco-país e, no nosso caso, Risco-Brasil.

Mas os problemas não param por aí. Ao assumir, Temer precisa literalmente colocar a casa em ordem. Aqui você pode conferir as mudanças, e não são poucas, que serão realizadas na política.

Sobre os desafios na economia, entre as soluções propostas estão uma reforma previdenciária com a estipulação de idade mínima para aposentadoria, ajuste fiscal, além da busca de um equilíbrio entre gastos do governo e arrecadação. Os especialistas indicam que, apesar de necessárias, essas mudanças causarão um enorme “burburinho” nas ruas e, talvez, desagrade uma parte da população. Porém, com essas reformas, Temer tende a forçar uma reaproximação entre os investidores e o nosso país, causando uma “impressão” de que algo está sendo feito para mudar a situação em que estamos.

Se essas medidas realmente funcionarão, só saberemos a longo prazo. Mas uma coisa é certa, algo precisa ser feito. Enquanto a utopia do cenário ganha-ganha não se realiza, um cenário perde menos – perde menos é melhor que um em que todos os lados perdem muito.
E o que irá acontecer? Devemos aguardar as cenas dos próximos episódios do House of Cards brasileiro.