O segredo do sucesso da BGS 2015 é apostar sem medo no entretenimento

Feira vai continuar em São Paulo em 2016, ainda que em novo local.

Por Felipe Vinha - Em 13.10.2015


A Brasil Game Show 2015 ocorreu em São Paulo entre os dias 8 e 12 de outubro e reuniu cerca de 290 mil pessoas no Expo Center Norte, zona norte da capital paulista. Com estandes das principais empresas do mercado de games brasileiro, como Sony e Microsoft, o evento surpreendeu não apenas por superar a marca de público do ano anterior, mas por ocorrer sem grandes problemas e com atrações interessantes.

Cinco dias bem aproveitados

A organização da BGS 2015 foi certeira ao definir a data da realização na edição deste ano. Geralmente com quatro dias, a feira pôde ser beneficiada com um “feriadão” que estendeu sua duração, e permitiu que mais pessoas visitassem o local. Além disso, o planejamento em dividir bem as atrações se mostrou acertado em muitos níveis.

Quem andava pelos pavilhões do Expo Center Norte podia conferir os principais lançamentos do mercado de games, seja para consoles ou computadores, e interagir com outros fãs, produtores e “celebridades” deste mundo, como YouTubers que fazem fama ao publicar vídeos nas redes sociais jogando e comentando estes títulos.

As lojas também souberam aproveitar bem o que a BGS ofereceu este ano. Americanas e Saraiva foram alguns dos destaques, com estandes enormes, promoções e lançamentos. Pequenos empreendedores marcaram presença, como lojistas locais e de nicho, com produtos “geeks” e licenciados.

Em geral, quem resolveu passar por lá não se arrependeu. Filas estavam presentes para todos os lados, é verdade, seja para jogar o novo FIFA 16 ou Street Fighter 5, mas atrações não foram escassas e sempre havia a opção de conferir outra coisa se determinado ponto estivesse muito cheio, por exemplo.

Crise? Manda mais entretenimento

Para Marcelo Tavares, criador e organizador da BGS, o sucesso da feira está em apostar no entretenimento. “Em época de crise as pessoas saem menos, ficam mais em casa, então o videogame é uma opção. O que ele já tem ele pode usar”, falou, em declaração ao blog da Tagarela.

De acordo com a consultoria Newzoo, especializada em games, o Brasil deve movimentar US$ 1,5 bilhão em 2015. Além disso, o País é o 11º maior mercado de games no mundo, além de ser líder na América Latina. Os números não mentem e se traduziram em grande público e, inclusive, parcerias comerciais fechadas na feira, que também contava com área de business e espaço destacado exclusivamente para produtores independentes.

No ano que vem, um novo local

Poucos sabem, mas a Brasil Game Show nasceu no Rio de Janeiro, dentro de uma quadra de futsal de escola, ainda com o nome Rio Game Show. Mas, infelizmente, sem incentivos fiscais e a falta de apoio do governo do Estado, ficou insustentável manter a feira na capital carioca, como Marcelo Tavares sempre faz questão de frisar em entrevistas, quando é perguntado sobre um possível retorno ao Rio.

Desde 2012 a feira é realizada em São Paulo, no Expo Center Norte. A edição de 2016, porém, muda de local, ainda que se mantenha na capital paulista. A próxima BGS ocorre entre os dias 1 e 5 de setembro, no São Paulo Expo, local que já é conhecido por abrigar outros eventos de peso.