Plataforma.Space abre aceleração para fintechs no Rio

O FINTECH.Rio terá como foco startups voltadas para inovação dos serviços financeiros

Por Vanessa Santos - Em 30.01.2017


Que o Rio de Janeiro é uma cidade importante para o Brasil, ninguém duvida. Mas falta protagonismo quando se fala em empreendedorismo. Basta se atentar para os números: segundo o Índice de Cidades Empreendedoras 2016, uma pesquisa realizada pela Endeavor, o Rio de Janeiro ocupa a 14ª colocação, caindo quatro posições em relação ao estudo anterior e ficando atrás de cidades como Caxias do Sul, Blumenau e São José dos Campos.

Pensando nisso, o Sicoob Empresas RJ — cooperativa de crédito singular filiada ao Sicoob, maior sistema financeiro cooperativo do País — e a CAAP — empresa de consultoria idealizadora e responsável pela constituição do Sicoob Empresas RJ — criaram a Plataforma.Space, com o objetivo de fomentar o empreendedorismo no Rio de Janeiro, ajudando startups a ganhar tração e estimulando para que se tornem Scale Ups. Trata-se de uma plataforma de inovação e incentivo a Startups, um Scale Up Program, que oferece as Startups em estágio operacional: capacitação técnica, infraestrutura, crédito e acesso ao mercado de modo que possam crescer em receitas, clientes e valor agregado.

Embora o lançamento oficial da Plataforma.Space tenha acontecido no dia 25, as inscrições para as startups que desejam participar do primeiro programa — o FINTECH.Rio, que terá como foco o segmento de fintechs, isto é, startups voltadas para inovação dos serviços financeiros — estão abertas até o dia 12 de fevereiro. Já a seleção acontece entre 13 e 24 do mesmo mês e o programa, já com as participantes selecionadas, começa no dia 8 de março.

Segundo Eduardo Diniz, do Sicoob RJ, a escolha da cidade não é por acaso. “O Rio de Janeiro possui grandes empreendedores, grande capital intelectual, uma comunidade forte, grandes investidores e um ambiente que tem tudo para se desenvolver. Acreditamos no potencial da cidade e queremos fazer nossa parte para trazer mais soluções, capital e empregos”, diz.​