A “primeira-dama instantânea” que tomou a mídia de assalto

Como a falta de preocupação com a comunicação pode prejudicar mais do que poderia

Por Felipe Vinha - Em 27.04.2016


Se nas últimas semanas vimos a polêmica da matéria da Veja com Marcela Temer, mulher do vice-presidente do Brasil, Michel Temer, nos últimos dias foi a vez de Milena Santos, esposa e “primeira-dama” de Alessandro Teixeira, recém-nomeado Ministro do Turismo, ganhar os holofotes. A partir de uma postagem em rede social, Milena sentiu na pele como a comunicação é um fator determinante e importantíssimo na vida de uma figura pública – principalmente de alguém relacionado ao governo.

Machismos, femismos e qualquer outro “ismo” à parte, toda a cobertura que a mídia deu e continua dando ao caso de Milena mostra o quanto é importante termos um planejamento para polêmicas e também em como não podemos conter a informação em alguns casos, principalmente se ela se torna pública.

O caminho da fama

Para explicar: Milena publicou em sua página pessoal do Facebook, entre amigos e desconhecidos, fotos no gabinete onde seu marido atuará na carreira política, com a chamada “Compartilhando com meus amigos meu primeiro dia de Primeira Dama no Ministério do Turismo do Brasil”. Também deixando de lado a pose da moça frente ao cargo do esposo, esse post foi o suficiente para que internautas e a imprensa fizessem uma verdadeira devassa na vida pessoal da “primeira-dama”.

Fotos de seu passado em poses sensuais, em outras até com pouquíssima roupa, histórias de sua infância sofrida, relacionamentos passados, parte de sua vida política de uma candidatura fracassada, tudo veio para público, por conta de uma única postagem que ganhou a Internet, a partir do momento em que foi publicada. Mesmo hoje, cerca de três dias após a polêmica começar a se espalhar, novas matérias vão surgindo e acompanhando cada passo de Milena.

A máquina das prensas

Verdades ou mentiras, certo ou errado, não cabe a ninguém julgar a vida pessoal de qualquer ser humano, desde que ela não esteja cometendo crime algum, claro. Se a moça gosta de levar uma vida excêntrica, se ela posou para fotos sensuais ou se teve um passado sofrido e hoje vive do luxo, são informações que só dizem respeito à própria e aos seus próximos. Ainda que, em tempos onde temos sites de “fofoca” bombando por aí, esse seja um pensamento utópico.

Por isso, ainda que tenhamos que lembrar que o papel da imprensa é informar o que interessa ao público, ao mesmo tempo temos que lembrar também que o público atual quer cada vez mais esse tipo de informação. Além do fator político (um Ministro casado com alguém que possivelmente quebrou decoro com fotos no seu ambiente de trabalho), temos também o fator “celebridade” envolvido. Por mais que Milena tenha sido uma quase ilustre anônima há algum tempo, a partir de agora ela pode ser a próxima “namoradinha do Brasil” ou a próxima “péssimo exemplo a ser seguido”. De acordo com o que a mídia for moldar a moça pelos próximos dias. E não podemos culpá-los disso. Na verdade, meio que ninguém está certo ou errado nessa situação.

Enquanto a “Bela, recatada e do lar” da revista Veja dominou a polêmica da Internet com Marcela Temer a partir de uma organização de assessoria de imprensa para construção de imagem, o caso de Milena, “Linda, poderosa e ex-miss-bumbum”, segundo a mesma revista, está sendo construído de forma bem mais orgânica – talvez até pela falta de uma assessoria por trás, ou um bom planejamento de contenção de crise.

O assunto ainda deve ter algum destaque por um tempo até “morrer”, ou dar lugar a eventuais novas polêmicas ou casos políticos que parecem que sequestram nossa querida mídia nos últimos meses. O que importa é: terá Milena o conhecimento certo para lidar com a situação? Alexandre apoiará? Há uma figura secreta que ainda não surgiu nessa história? Tudo isso e muito mais, na nossa novela da vida real, que cada vez mais se parece com uma ficção.