Quando devo contratar assessoria de imprensa?

Nem todas as empresas estão no momento de ter uma assessoria de imprensa. Você sabe a hora certa?

Por Monique Fernandes - Em 04.05.2015


Trabalho com startups há quatro anos e meio, e já perdi as contas de com quantos empreendedores eu conversei sobre assessoria de imprensa nesse período. Alguns viraram clientes, outros não, mas muitos desses, infelizmente, falharam no meio do caminho. Todos que falharam tinham algo em comum: procuraram assessoria de imprensa no momento errado.

É muito comum eu receber empreendedores que ainda estão na fase da ideia e querem uma reunião para contratar o serviço imediatamente. Definitivamente, esse não é o momento de iniciar um trabalho de PR, pois ainda não existe um negócio e/ou empresa. Alguns querem fazer o lançamento da empresa, mas ainda estão em desenvolvimento do app ou do sistema e, com certeza, a data de lançamento vai atrasar. Já vi muitos casos que atrasaram três ou quatro meses da data prevista inicialmente. Acredito que um pouco dessa ansiedade, é, em parte, responsabilidade do cálculo de valor da empresa. Afinal, a exposição na mídia é um dos fatores que contam para o valuation da empresa.

Mesmo que a sua startup esteja com tudo pronto para lançar, é extremamente arriscado contratar assessoria de imprensa no início. Você ainda precisa validar a sua ideia, precisa saber se o seu modelo de negócios está certo e funciona. É muito comum a startup pivotar* no meio do caminho. Acredite, é muito comum fazer isso algumas vezes ao longo da vida da empresa até acertar o modelo de negócios. Nós tivemos um cliente que pivotou três vezes enquanto estávamos trabalhando com ele e comunicar isso aos clientes, investidores e parceiros já é complicado. Agora, imaginem comunicar isso ao jornalista que fez uma matéria semana passada sobre a empresa e hoje comunicamos esse novo modelo querendo uma nova matéria. Pode ter certeza de que a startup e a assessoria vão entrar para a blacklist do jornalista.

Startups, normalmente, tem recursos limitados. Em geral, os empreendedores estão investindo, além do tempo, a poupança pessoal, recursos dos pais e parentes, ou conseguiram levantar um investimento-anjo inicial. Para os fundadores de primeira viagem parece que 300 mil reais é muito dinheiro, mas não é. Dependendo de quem está na administração pode durar três meses ou um ano.

Eu sei que assessoria de imprensa é sexy. É extremamente excitante ver o seu nome impresso, saber que as pessoas estão falando sobre você e sua empresa, ter matérias penduradas na parede, para mostrar à sua família e justificar para os investidores o aporte feito. Por isso, assessoria de imprensa parece ser extremamente importante no início de sua startup. Mas nem sempre é! Pegue o fee mensal da assessoria de imprensa e multiplique por um ano, assim, terá o valor total investido. Vale a pena investir esse valor todo tão cedo em PR? Na minha opinião não. No início, todo dinheiro poupado é válido!

Invista em mídias próprias, como o blog, redes sociais e e-mail marketing. Busque criar a estratégia de transformar seus familiares, prestadores de serviços, colaboradores, seus coworkers, investidores e os primeiros clientes em evangelizadores do seu produto. Assessoria de imprensa é construção de imagem e reputação, isso leva tempo e o retorno não é fácil de ser medido. Então, depois de ler esse texto, pare e pergunte: você realmente precisa de assessoria de imprensa agora?

*Pivotar ou pivot (leia-se “pivô”): Expressão utilizada originalmente na engenharia e no ballet que foi incorporada no mundo startup para designar momentos em que se altera a estratégia de desenvolvimento de um produto mínimo viável (o “protótipo”). Esta alteração, o pivô, acontece porque o comportamento dos usuários/consumidores/clientes não confirmaram as premissas acordadas. A metáfora do pivô é utilizada porque o movimento consiste em manter um pé no chão enquanto o outro muda a direção. (Fonte: Startupídia – Startupi)